Iniciada em maio de 2018, a reforma e ampliação do prédio histórico do Centro Cultural Popular Mestre Noza está atrasada há 4 meses. Segundo a Secretaria Municipal de Cultura de Juazeiro do Norte, imprevistos estruturais requereram o redesenho do projeto e agora a pasta busca aditivos ao orçamento de R$ 241 mil do antigo Ministério da Cultura para dar continuidade aos trabalhos.

A extinção do Ministério da Cultura no novo Governo Federal pode ter prejudicado o andamento da reforma deste que é um dos principais centros de artes plásticas e artesanato popular do país.

O município aguarda a liberação da segunda parte do recurso e a confirmação do aditivo. Em reunião com os artesãos, foi pedido mais três meses. No entanto, com lentidão do trâmite burocrático, não há confirmação de prazo de conclusão.

 

Esta é a segunda reforma estrutural em mais de 10 anos de Centro. Artesãos aguardam ansiosamente conclusão (Foto: Alana Soares/Agência Miséria)

 

Esta é a segunda reforma estrutural em mais de 10 anos de Centro.Artesãos aguardam ansiosamente conclusão.

A conclusão é aguardada com ansiedade pelos mais de 100 artesãos associados, que há quase um ano estão trabalhando e expondo suas peças em salão emprestado no Centro Multiuso, pouco conhecido dos visitantes.

A mudança afetou drasticamente as vendas, confessa o presidente Cícero Caetano Rodrigues, o Zumbi. “Ninguém está acostumado a vir aqui embaixo”, lamenta. “Estamos lá no centro há 34 anos. É nossa casa e esperamos ansiosos para voltar onde, com certeza, a reforma vai ter deixado bem mais confortável”, anseia.

O fechamento temporário do prédio também afetou o comércio na rua São Luiz, onde lojas vizinhas se beneficiavam da movimentação em torno do Centro Mestre Noza. Na loja Vanessa Calçados, as vendas caíram cerca de 70%. “O turista não vem mais aqui e, quando vem e vê fechado, já vai embora triste”, diz uma vendedora.

Como forma de amenizar o impacto financeiro, o Governo do Estado do Ceará inaugurou ainda em junho de 2018 uma loja do Centro Mestre Noza no Cariri Garden Shopping. Segundo Caetano, o prefeito Arnon Bezerra aceitou o pedido dos artesãos de colocar um aviso com a localização temporária na porta do prédio em obras.

Esta é a segunda reforma estrutural em mais de 10 anos de Centro. A reforma contempla a instalação de novo piso e teto, Café Cultural, ateliê, banheiros e área de convivência para artistas e visitantes.

Artesãos estão trabalhando e expondo suas peças em salão emprestado no Centro Multiuso, pouco conhecido dos visitantes (Foto: Alana Soares/Agência Miséria)

Por Alana Soares/Agência Miséria
Miséria.com.br

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook