Docentes de Beberibe também devem paralisar atividades nos próximos dias

Os professores da rede municipal de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, cruzam os braços a partir desta quinta-feira (14). A categoria reclama que o município se recusa a pagar o reajuste salarial de 4,17%. Conforme levantamento da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), entre as cidades pesquisadas, Caucaia foi a única a apresentar reajuste zero.

A primeira atividade do movimento grevista será a realização de uma assembleia geral na Praça da Câmara Municipal, a partir das 8 horas. A decisão de iniciar a greve foi tomada em assembleia geral da categoria. Além do aumento, os trabalhadores também reivindicam o cumprimento do Plano de Cargos e Carreiras do Magistério, que inclui questões como as progressões e promoções funcionais.

Outras reivindicações são a correção das precárias condições de trabalho e de funcionamento das escolas municipais e a contratação de profissionais de apoio escolar, entre eles porteiros, merendeiras e auxiliadores de serviços gerais.

O  Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Caucaia (Sindsep), que coordena o protesto e representa os educadores nas mesas de negociação com a gestão municipal, destaca que a reposição salarial anual do magistério está prevista na Lei Federal Nº 11.738/2008, com percentual calculado pelo Ministério da Educação.

Beberibe
Docentes de Beberibe também devem paralisar as atividades nos próximos dias. A categoria aprovou estado de greve após o município negar reajuste salarial de reposição da inflação. As informações foram divulgadas pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Beberibe (Sindserv).

Via Cnews

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook