O medicamento Mesilato de Imatinive 400 mg, utilizado no tratamento contra vários tipos de Leucemia, deixou de ser distribuído pela rede estadual de saúde do Ceará há quase um mês. O problema foi denunciado por usuários assistidos pelo Hospital Universitário Walter Cantídio. Atualmente, 380 pacientes do Serviço Único de Saúde (SUS) recebem a fórmula no Estado.

A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) esclarece que recebe o medicamento via Ministério da Saúde (MS), que fez seu último repasse em janeiro deste ano. O total enviado, segundo a Sesa, equivale a apenas 30% do total de atendimento do Estado, o suficiente para atender somente um mês.

Por nota, o órgão disse que, segundo informações do Ministério da Saúde, a entrega do Imatinive está prevista para a primeira semana de maio. “A Sesa informa ainda que solicitou prioridade na entrega do Imatinibe e ratifica que, assim que ocorrer o repasse, será logo providenciada a distribuição”, diz a nota.

Um dos pacientes prejudicados é o representante comercial Francisco Itamar Correia, de 70 anos, que precisa do remédio para manter a leucemia controlada. “Eu tomo um comprimido por dia depois do almoço, mas não recebi quando fui no Hemoce (Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará) no dia 1º de abril. Minha doença está estável, mas a médica disse que eu não posso parar de tomar pois ainda não estou zerado e o câncer pode voltar e ainda mais forte”, comenta.

Para suprir a carência, Itamar diz que conseguiu dez comprimidos com um amigo de São Paulo, mas já teme por não dar continuidade ao tratamento. “Tem uma semana que não saio de casa com medo de dirigir e de visitar clientes, pois a falta do medicamento me deixa muito mole e sonolento. Mas eu tenho mais pena de quem vem do interior pra pegar o remédio e não tem”, comenta.

Fonte: G1

Siga-me

Jornalista Ricardo Cavalcante

Informações e contato em Portal Jurema News
Jornalista sob registro Drt 3648/Ce
Quem sou: Um apaixonado por tecnologia, busco sempre novas tecnologias para deixar esse portal cada vez mais completo.
Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Deixe uma resposta