Está marcado para esta quarta-feira (19) o julgamento de um pedido da defesa do goleiro Bruno Fernandes para que seja anulada uma falta grave à qual ele foi imputado em fevereiro deste ano. Ele está preso em Varginha, no Sul de Minas Gerais, onde cumpre prisão em regime fechado pela morte de Elisa Samúdio.

Três desembargadores da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas, em Belo Horizonte, julgam o pedido da defesa do goleiro. A sessão está marcada para as 13h30.

Bruno foi punido pela Justiça em Varginha após ser flagrado em um bar em companhia de duas mulheres. A transgressão foi considerada falta grave. À época, a defesa negou irregularidades.

Nesta quarta-feira (19), o tribunal explicou que a decisão do juiz que determinou falta grave se refere ao uso de aparelho celular para contato com pessoas desconhecidas e em horários não autorizados. Além disso, ele também foi punido por conceder entrevista à imprensa sem autorização.

Enquanto era interno na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) em Varginha, o goleiro tinha direito a um celular para falar exclusivamente com a família e em horários autorizados. E também tinha a o benefício de trabalhar externamente.

A 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais de Varginha cancelou o benefício após a denúncia. Apesar disso, Bruno foi absolvido no processo administrativo sobre o caso.

O desembargador Doorgal Andrada é o relator do processo que será julgado nesta quarta-feira (19). Correia Camargo e Eduardo Brum são os outros dois desembargadores que vão votar o pedido.

A advogada do goleiro, Mariana Migliorini, disse que não vai comentar o julgamento.

Fonte: G1

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook