Um detento identificado como Neurivan Alves Loiola foi encontrado morto dentro de um tambor de lixo neste sábado (20/07) na Penitenciária Professor José Ribamar Leite, antiga Casa de Custódia, localizada na zona Sul de Teresina.

Kleiton Holanda, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), disse que o detento era do Pavilhão C e que ele foi morto com várias perfurações feitas com vergalhões retirados da própria estrutura da penitenciária.

Segundo kleiton, essa é a quinta morte registrada na penitenciária e em todo o Estado já foram contabilizados oito mortes.

“É uma situação já conhecida e que envolve diversos problemas como superlotação, são 1.210 detentos para um plantão com apenas 11 agentes. Nós temos 37 agentes formados, prontos para começar a trabalhar, mas o governo do estado não faz a nomeação”, disse Kleiton.

A polícia foi acionada para realizar a perícia no local e iniciar as investigações para identificar quem praticou o crime.

A Secretaria de Justiça informou que o óbito foi comunicado à Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Também será aberto procedimento administrativo para apurar a ocorrência.

Veja a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Justiça informa que o detento Neurivan Alves Loiola Filho foi encontrado morto, na tarde de hoje (20), em uma das celas do pavilhão C da Penitenciária Prof. José Ribamar Leite. O fato foi constatado após vistoria da equipe de plantão da unidade. O óbito foi comunicado à Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Instituto Médico Legal (IML), que esteve no local para procedimentos legais acerca do caso. A Sejus também abrirá procedimento administrativo para apurar a ocorrência.

180 graus

Por Agência Miséria
Miséria.com.br

Siga-me

Jornalista Ricardo Cavalcante

Informações e contato em Portal Jurema News
Jornalista sob registro Drt 3648/Ce
Quem sou: Um apaixonado por tecnologia, busco sempre novas tecnologias para deixar esse portal cada vez mais completo.
Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Deixe uma resposta