O Tribunal do Júri de Ribeirão Preto condenou a 25 anos e oito meses de reclusão Tatiana Ferreira Lozano Pereira de 34 anos, acusada de matar, com uma facada no pescoço, e depois colocar fogo no corpo do filho, Itaberli Lozano, de 17 anos. A informação é do Portal UOL.

A motivação do crime, apontada pela promotoria, seria a orientação sexual do adolescente, que era homossexual. A defesa da condenada afirmou que irá recorrer à sentença.

O caso ocorreu em 29 dezembro de 2016, em Cravinhos, cidade vizinha a Ribeirão, mas o corpo de Itaberli só foi encontrado em 7 de janeiro. Os jurados também condenaram Victor Roberto da Silva, 21, e Miller da Silva Barissa, 20, acusados de participarem do plano para matar o jovem, a 21 anos e oito meses de reclusão. As defesas de Victor e Miller informaram que também irão recorrer das sentenças proferidas.

O padrasto de Itaberli, Alex Canteli Pereira, que seria julgado por ter participado do incêndio do corpo e depois na ocultação do cadáver, foi dispensado do júri porque o advogado renunciou a defesa dele, alegando conflito de interesses. Ele será julgado em novo agendamento, em data vindoura.

Segundo o promotor Elizeu Berardo, responsável pela acusação, a sentença reconhece a autoria do crime. “As provas apontam a autoria do crime e também o motivo que levou a ele. Não resta dúvida que o crime foi bárbaro e a punição retratou isso”, comenta.

180 Graus

Por Redação
Miséria.com.br

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook