Ticiano Tomé é o novo prefeito de Granjeiro. O vice do PSDB tomou posse, na tarde desta sexta-feira, em solenidade na sede da Câmara Municipal. Tomé jurou cumprir as leis e promover o bem-estar do município do Cariri. Ele assume o poder após o assassinato de João do Povo (PL), na terça, em crime ainda não elucidado.

“Assumo o cargo com tranquilidade,com os pés no chão, com muita fé em Deus, pedindo aos municípes, aos vereadores, à população em geral que me ajudem neste momento difícil, de luto. Foi algo que todos nós fomos pegos de surpresas”, comentou Tomé aos jornalistas, após a posse.  Ele não definiu ainda o secretariado. Depois da solenidade, ele iniciou reuniões com seu grupo político.

“A população e a cidade não podem parar nem pagar por algo que é uma vacância por mais de três dias. Temos de sentar hoje e dar prioridade à saúde, aos transportes”,  disse Tomé, elegendo como prioridade reativar os serviços de saúde, prejudicados nos últimos dias por recusa dos donos de postos de fornecer combustível para as ambulâncias. 

Sobre seu esquema de segurança, ele disse que não pretende mudar muito seu cotidiano. “Sou simples, muito humilde, não estou acima de ninguém. Sou funcionário do povo. Como tal, vou me comportar como antigamente. Vou manter a segurança normal do cargo de prefeito. Nada mais além disso. Minha vida é um livro aberto, e Deus é meu protetor e guardador”, afirmou o tucano. 

Ele comentou ainda sobre a saída de secretários municipais ligado ao grupo político de João do Povo João do Povo, era investigado devido a denúncias de fraude em licitações.. “Vou fazer uma auditoria a partir de hoje para que eu não seja responsabilizado por nada do passado”, garantiu Tomé. 

O prefeito empossado explicou sua ausência no velório de João do Povo. Ele disse que viajou de ônibus para Fortaleza, a fim de aproveitar o Natal na casa de uma tia, e que não conseguiu retornar a tempo de comparecer ao velório. “Meu pai não me emprestou o carro e tive de ir de ônibus”, esclareceu.

Ticiano Tomé é filho de Vicente Tomé, que foi prefeito por três vezes do município.

Atraso

A solenidade de posse começou com atraso de mais de uma hora, devido à ausência dos vereadores. A Câmara Municipal, formada por nove vereadores, tinha marcado o início da cerimônia para 15h, mas só começou depois das 16h. O público aguardava o início do evento. Devido à lotação, havia pessoas sentadas até na calçada do prédio da Câmara.

O novo prefeito de Granjeiro tinha rompido, no começo do ano, com o grupo político de João do Povo. Por causa disso, secretários municipais entregaram seus cargos de confiança. A Secretaria de Segurança Pública ainda realiza buscas de suspeito pelo crime.

Via Diário do Nordeste

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook