Diante de um clima tenso vivido nos últimos dias, ainda há aqueles que usam de má fé e propagam áudios sem precedência, são áudios no qual não há nenhuma comprovação de veracidade, com fontes duvidosas e outras vezes ate anonimas, entretanto que levam um clima de terror as pessoas.

Dentre os áudios que circulam nas mídias sociais, em especiai grupos de Whatsapp, estão depoimentos de supostos funcionários do sistema público de saúde com informações que vão contra os dados oficiais, inclusive contestando os números apresentado pelo a secretária de saúde do estado e o ministério da saúde do governo federal, são áudios sem veracidade e que simplesmente servem pra aumenta o clima de tenção vivido entre a população em virtude do Covid-19, o novo coronavírus, vejam alguns desses áudios que nossa equipe conseguiu através de alguns grupos de Whatssap.

Só lembrando, esses áudios reproduzidos são áudios sem veracidade, ou seja, não há comprovação oficial, tão pouco sabe-se quem tenha gravado, mais diga-se de passagem que temos que fazer nossa parte, evitar agromerações, seguir as orientações do estado e busca evitar a proliferação do vírus, mais ter responsabilidade com informações que reproduzimos.

O Psicólogo Zairton Cavalcante falou a nossa equipe quem são as pessoas mais afetadas por essas falsas notícias, dentre elas estão as pessoas com síndone do panico e ansiedade, além dessas pessoas serem as mais afetadas pelo as faltas notícias, elas podem ter seus quadros agravados em decorrência da pressão que lhe é imposta por uma notícia infundada e sem precedência.

 

As falsas notícias também impactam nos estudantes, grupo esse que hoje tem presença ativa nos grupos de Whatsapp e que ativamente participam de debates que englobam temas atuais como é o caso do coronavírus, muitos desses jovens ainda em fase de formação não conseguem dissemina uma notícia verdadeira de uma falsa e muitas vezes acabam deixando-se levar pelo emocional ao ouvir essas mensagem, o que pode trazer problemas futuros pra ele, nossa equipe conversou com Prof. Eládio Barbora que falou sobre as Fake News e a importância das pessoas não reproduzirem esses conteúdos que não tem nada de informativo e só disseminam o medo entre as pessoas.

Prof. Eladio deixa dicas de como se prevenir, em fim, seguir as orientações do estado, busca manter certa distância entre as pessoas pra evitar a proliferação do vírus, porém sem espalha o terror através de falsas notícias.

Fato concreto sobre as Fake News

As fake news chegaram a extremidade de representa 85% das mensagens vinculadas entre as mídias sociais quando o assunto é o coronavírus, a informação foi tema de uma matéria do jornal Diário do Nordeste que chegou a citar alguma dessas falsas noticias, dentre elas, está a informação de que haviam pacientes curados em 24 horas, de que o remédio usado no tratamento da Aids curava o coronavírus dentre outras noticias que não são verdadeira, o volume de informação falsa além de trazerem o clima de medo, ainda podem induzir as pessoas a fazem automedicação, o pior, tomar medicamento que não tem nenhuma eficacia no tratamento ou na cura do Covid-19.

Medidas de proteção ao Covid-19

O estado tem tomado várias medidas afim de evitar a proliferação do vírus, dentre essas medidas está o isolamento sociais, é importante que todos se mantenham em casa, lave as mãos com álcool gel, água e sabão, evite contato físico, e siga todas as orientações do estado, evite abraço, beijo e lembre-se, a doença passa, o cuidado com nossa saúde é fundamental.

Só lembrando, não acredite em tudo que esculta ou ler, não propague Fake News.

 

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook