O ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, decidiu entregar o cargo nesta sexta-feira (24) e deixar o governo de Jair Bolsonaro após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, ter sido publicada nesta madrugada no Diário Oficial da União. 

Valeixo foi escolhido por Moro para o cargo. O ex-diretor-geral da PF é homem de confiança do ex-juiz da Lava-Jato. 

Desde o ano passado, Bolsonaro tem ameaçado trocar o comando da PF porque quer ter controle sobre a atuação da polícia, especialmente em processos que envolvem sua família.

O descontentamento de Bolsonaro com a direção da PF foi alimentada nos últimos dias, após a instauração de inquérito para investigar o ato de domingo (19), em Brasília, em que manifestantes pediram a intervenção militar, o retorno do AI-5 e o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente participou da manifestação.

Bolsonaro teria ficado irritado quando soube que Valeixo destinou a apuração do caso a mesma equipe de agentes e delegados que atua no inquérito aberto pelo STF para apurar fake news. 

Via Cnews

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook