No início do calendário de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial, após quase um mês e meio do início dos cadastros, cerca de 10 milhões de trabalhadores ainda aguardam a aprovação do benefício.

É o que disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em coletiva transmitida nesta terça-feira (19). “O número corresponde a 10% do total. Dos 100 milhões que pediram o benefício, 60 milhões foram aprovados, 30 milhões tiveram o auxílio negado e 10 milhões estão em análise”.

Dos 10 milhões de cadastros atualmente em análise, Guimarães aponta que cerca de 2 milhões se referem a cadastros novos, enquanto o restante passam pela segunda ou terceira análise. “Não temos resposta sobre até quando serão analisados. A homologação depende do Ministério da Cidadania”.

O executivo esclareceu que todos os trabalhadores que tiverem cadastros validados e aceitos receberão as três parcelas do auxílio, não importa quando. “Vamos receber cadastros até o dia 3 de julho. Os novos já diminuíram bastante”.

Quem tem o cadastro negado não pode refazer o pedido. “O cadastro pode ser negado em definitivo. Não tem jeito, a lei é clara: quem recebeu mais de R$ 28 mil em 2018 e faz parte de uma família que ganha mais de três salários mínimos, não tem direito ao auxílio”.

O executivo citou uma situação específica. Quem ficou desempregado após o dia 2 de abril pode ter de esperar a atualização da situação na Receita Federal. “A Receita tem um tempo para validar a nova situação”.

Fonte: Exame

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook