Uma menina de 4 anos morreu em um hospital municipal de Várzea Alegre, no interior do Ceará, após apresentar um quadro grave de desidratação. Por volta das 2h30 do domingo (10), Luzia Lorrany deu entrada no Hospital São Raimundo sofrendo uma parada cardiorrespiratória. Após uma hora intubada e sendo reanimada por médicos, ela não resistiu e morreu.

A unidade de saúde onde a menina deu entrada informou à reportagem que ela já apresentava quadro de diarreia e vômitos persistentes há quatro dias, o que pode ter ocasionado a desidratação que levou ao óbito. 

No entanto, a família contesta o que foi repassado pelo hospital, afirma que a criança não teve diarreia por quatro dias e conta que ela sentiu dor no sábado (9), um dia antes da sua morte, mas que ela não chegou a ser internada. 

Em vídeo enviado ao Sistema Verdes Mares, o secretário de saúde de Várzea Alegre, Ivo Leal, afirmou que a Pasta investiga as causas da morte da pequena Luzia e reafirma, junto ao hospital, que a menina apresentou quadro grave de infecções intestinais.

“Após esse óbito, várias especulações estão sendo feitas em cima das possíveis causas que levaram à morte dessa criança. Nós recebemos a declaração de óbito e a partir do momento do recebimento, a vigilância de saúde, através do setor de epidemiologia, iniciou o processo de investigação, que é uma conduta de praxe, mediante a qualquer tipo de óbito ocorrido no município”, afirma Leal.

Leal reforça, ainda, que na declaração de óbito da criança, consta as possíveis causas da morte. “Ao receber a declaração de óbito, nos deparamos com informações de possíveis causas do óbito de uma desidratação intensa e também problemas de infecções intestinais graves”, conta.

O corpo da pequena Luzia Lorrany, que morava na localidade do Sítio Jatobá, em Canindezinho, foi sepultado neste domingo (10), em Várzea Alegre.

Via Diário do Nordeste

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook