O menino de seis anos de idade que estava desaparecido desde o dia 12 de janeiro, após sua mãe ter sido espancada a pauladas pelo companheiro em um sítio no bairro Alto Fechado, em Pacatuba, foi encontrado na noite desta sexta-feira (22), em Caucaia. Estava com o padrasto, Antônio Giliarde Araújo de Souza, de 25 anos, que já responde por roubo e foi preso em flagrante. A criança ficou com a guarda do Conselho Tutelar antes de voltar para a mãe.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os dois foram encontrados em Capuan, em Caucaia, na casa de Priscila Sacha Rufino, 32, que responde por furto e que foi conduzida à delegacia junto à Giliarde e autuada por subtração de menor. O menino estava deitado em uma cama na sala da residência, de acordo com a Polícia.

Em depoimento aos policiais, o suspeito relatou que, depois que espancou a companheira em Pacatuba, fugiu com a criança — que tem transtornos mentais — para Caucaia, pedindo carona na estrada. A localização dele foi possível após telespectadores verem a divulgação do desaparecimento da criança pelo Sistema Verdes Mares.

O inspetor Moacir, que atuou na operação que encontrou o garoto e o padrasto, detalhou que as testemunhas viram o homem e o menino em situação de rua numa praça da cidade. “O mais importante foi encontrar a criança viva e aparentemente bem”, disse o policial.

A operação que localizou a criança e prendeu o suspeito envolveu policiais das Delegacias Metropolitana de Maracanaú, 24º Distrito Policial, de Defesa da Mulher de Pacatuba (DDM – Pacatuba), 18º Distrito Policial (Jurema) e Metropolitana de Caucaia.

Volta para casa

Assim que foi resgatado pelos policiais, o menino foi abrigado pelo Conselho Tutelar de Caucaia e, logo depois, levado pelo Conselho Tutelar de Pacatuba de volta à família. Chegou em casa por volta das três horas da madrugada.

Antes, foram feitos exames de corpo delito. “A criança estava bem. Segundo o médico legista, aparentemente não houve nenhum tipo de violação”, informou o coordenador do conselho de Pacatuba, Valnez de Freitas. O gestor também comentou que a criança, que, devido a transtornos mentais, mal fala, compartilhou com a equipe durante a viagem que só queria voltar para a mãe.

Fonte: Diário do Nordeste

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook