A enfermeira Adriana Frade, de 24 anos, faleceu após receber injeção no Hospital dos Servidores de Pernambuco (HSP), localizado em Recife. Trabalhando no local há um mês, a jovem teria solicitado medicamento para cólicas menstruais, mas acabou recebendo noradrenalina, estimulante geralmente utilizado para ressuscitação pulmonar. 

A morte foi registrada na última quarta (4), enquanto o sepultamento do corpo da enfermeira foi realizado na sexta (5). De acordo com confirmação do governo de Pernambuco, responsável por administrar o hospital, a causa foi denominada como “uso de medicação intravenosa”.

Em nota do Hospital dos Servidores, a informação divulgada afirma que o corpo clínico do local realizou procedimentos para salvar a vida da profissional, mas que o óbito ocorreu por conta da gravidade do quadro de saúde. Adriana se formou em Enfermagem no primeiro semestre de 2020. 

Além disso, familiares contam que médicos tentaram reanimar a moça por cerca de 50 minutos, com o falecimento sendo oficializado após uma parada cardíaca na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Investigação

Instituto Médico Legal (IML) realizou exames no corpo de Adriana Frade e determinou a morte como caso de edema agudo pulmonar. No entanto, as circunstâncias ainda continuam sob investigação.

“Os fatos e circunstâncias serão objeto de apuração por meio dos devidos processos legais, em todas as instâncias cabíveis”, delimitou o Hospital dos Servidores. 

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook