Uma estrutura que era utilizada como barreira sanitária contra Covid-19 na Terra Indigena Tremembé da Barra do Mundaú, em Itapipoca, foi atingida por um incêndio na noite do domingo (21). Os moradores do local acreditam que o fogo teve origem criminosa.

O espaço foi utilizado durante o ano de 2020 como controle sanitário para entrada e saída da aldeia. Na barreira, eram realizadas atividades como aferição de temperatura, conscientização ao uso da máscara, álcool em gel, reforço ao pedido para que as pessoas se mantenham em casa. O Povo Tremembé tinha planos para voltar essas ações em 2021 no local.

Os representantes pedem apoio das autoridades para encontrar os possíveis responsáveis pelo incêndio, que eles acreditam ter sido provocado de maneira criminosa. Contudo, até esta terça-feira (23), nenhum Boletim de Ocorrência (B.O) do caso foi registrado sobre o caso.

Apesar da ausência de B.O registrado, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Itapipoca, apura o incêndio, com o objetivo de elucidar os fatos.

De acordo com um dos representantes, o fogo foi combatido com água por um grupo de moradores, de maneira independente, porque a aldeia fica a 60km de distância da sede do município de Itapipoca, onde fica localizado o Corpo de Bombeiros da cidade. Por isso, eles preferiram não arriscar esperar pelas autoridades, com receio do fogo destruir ainda mais a estrutura.

 

Reconstrução da estrutura

 

“Nós vamos reconstruir a nossa oca. É uma luta contínua no nosso território, uma luta que não tem fim, mas que nos fortalece até com as coisas ruins”, afirma Erbene Tremembé, Liderança do Povo Tremembé, que comenta também que casos de violações dos direitos indígenas são frequentes e a punição nunca é aplicada aos responsáveis pelos atos.

A barreira sanitária começou a ser reconstruída em Itapipoca. — Foto: Arquivo pessoal

A barreira sanitária começou a ser reconstruída em Itapipoca. — Foto: Arquivo pessoal

“Pedimos o apoio de todos os companheiros de luta pela defesa dos territórios indígenas, e da vida para que juntos possamos vencer mais esta difícil batalha” pede Adriana Tremembé, outra liderança indígena.

Na manhã desta terça-feira (23), o Povo Tremembé da Barra do Mundaú iniciou o trabalho de recuperação da estrutura destruída. “Agradecemos imensamente o apoio e solidariedade de todos/todas/todes! Estamos em luta pela defesa do território e dos direitos humanos”, destaca a publicação nas redes sociais da aldeia.

Via G1 Ce

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook