Uma mulher de 28 anos deu à luz um menino no meio da rua, enquanto esperava por socorro, na manhã da terça-feira (6), em São Lourenço da Mata, no Grande Recife. A dona de casa Adriana Mesquita contou com a ajuda do médico Roberto Calumby, que tem uma clínica a 300 metros da casa dela e foi chamado às pressas (veja vídeo acima).

A mãe dela, Marilene Maria de Mesquita, já tinha pedido ajuda, mas viu que não daria tempo de o socorro chegar e lembrou da clínica perto de casa. Ao chegar ao local, o médico se deparou com uma cena nunca vista em 44 anos de profissão.

Adriana estava no meio da rua com o filho nos braços e o cordão pendurado. “A minha conduta foi voltar para a residência, retirar o resto da placenta, cortar e cordão umbilical e checar se a criança estava bem”, disse o médico.

O filho de Adriana nasceu em casa com três quilos e muita saúde — Foto: Reprodução/TV Globo

O filho de Adriana nasceu em casa com três quilos e muita saúde — Foto: Reprodução/TV Globo

O filho de Adriana nasceu em casa com três quilos e muita saúde. Ele se chamaria Heitor, mas, por conta do médico que ajudou no parto, foi batizado como Roberto Heitor. O ginecologista e obstetra virou amigo da família.

“Foi de repente que senti as dores. Fui no banheiro fazer xixi e vi a cabeça do menino saindo. Chamei um monte de ambulância e ninguém veio me ajudar. Foi Deus que colocou o médico no meu caminho. Até agora ele está me ajudando, até conseguiu roupa para o bebê”, disse Adriana.

O médico Roberto Calumby disse que se deparou com uma cena nunca vista em 44 anos de profissão — Foto: Acervo pessoal

O médico Roberto Calumby disse que se deparou com uma cena nunca vista em 44 anos de profissão — Foto: Acervo pessoal

A porteira Aline Rodrigues, vizinha de Adriana, acompanhou tudo e registrou em vídeo com o celular. Também foi Aline que ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para chamar uma equipe para atender à vizinha. Mas o socorro, segundo ela, demorou mais de uma hora e meia.

“Liguei às 7h e informei o que estava acontecendo. Depois de 30 minutos, o Samu retornou dizendo que as unidades de São Lourenço e Paudalho estavam desativadas e que, na de Vitória de Santo Antão, não tinha maca. Que a unidade de Camaragibe era a única que tinha, mas que estava atendendo um chamado. Era mais de 8h30 quando o médico conseguiu uma ambulância de uma maternidade de São Lourenço”, contou.

 

Respostas

 

A prefeitura de São Lourenço da Mata informou, por meio de nota, que uma nova base de atendimento do Samu está sendo requalificada para que o serviço passe a ter funcionamento total. Também disse que disponibilizou uma ambulância do Hospital e Maternidade Petronila Campos para realizar o socorro assim que recebeu o chamado.

No comunicado, foi informado, ainda, que Adriana e o bebê foram levados para a unidade de saúde e passaram por uma revisão pós-parto e pela realização de vários exames. Os dois ficaram em observação médica até receber alta na quarta-feira (7).

A prefeitura de Paudalho afirmou que a base do Samu no município está desativada, mas que a unidade segue funcionando normalmente com regulação da Central Samu Metropolitano Recife.

Segundo a Secretaria de Saúde de Vitória de Santo Antão, não houve nenhum caso de ambulância do Samu com falta de maca ou retenção de maca em hospital.

A prefeitura de Camaragibe declarou que o Samu estava em atendimento no horário da solicitação, mas reforçou que, sempre que necessário, o município atende pacientes de outra cidade sem problema algum.

Voa G1 Pe

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook