Três pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) à Justiça nesta quinta-feira (15) pela prática de crimes sexuais. As denúncias ocorreram após investigações da Operação ‘Indiscretos’, deflagrada em 20 de julho de 2020, que cumpriu ordens de busca e apreensão pessoais e residenciais em quatro alvos, em Fortaleza e Pacajus.

A operação tinha como objetivo apurar denúncias de crimes sexuais caracterizados pelo compartilhamento de mídias digitais com conteúdo pornográfico, que foram divulgados pelo movimento #Exposed. A denúncia pede a condenação dos suspeitos por três crimes de pedofilia e um crime de posse de material pornográfico de adolescente.

De acordo com o Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), as investigações foram iniciadas em 2020, quando um movimento digital denominado #Exposed surgiu nas redes sociais com o objetivo de relatar situações constrangedoras e de cunho sexual vivenciadas em ambiente escolar/acadêmico.

Diante do movimento que se popularizou pelo país, estudantes de Fortaleza e de outras cidades do Ceará expuseram situações constrangedoras que haviam vivenciado no decorrer da vida acadêmica. Com as denúncias, o Nuinc passou a monitorar as postagens e comentários realizados nas redes sociais do movimento, instaurando uma notícia de fato para aprofundar as investigações.

Ao analisar as publicações, o Núcleo de Investigação Criminal do MPCE identificou os três denunciados. Em seguida, o Nuinc pediu medida judicial de busca e apreensão em desfavor dos acusados, a qual foi deferida pela 11ª Vara Criminal de Fortaleza. Dias depois foi deflagrada a Operação Indiscretos, que contou com apoio da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD) e Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado (COIN).

Após a apreensão dos materiais eletrônicos, o Nuinc continuou com as investigações, analisando o conteúdo encontrado nos equipamentos e elaborando relatório de extração de dados individualizado para cada um dos denunciados. Foram encontrados um vasto material de mensagens, fotos e vídeos que comprovam que os investigados cometeram os crimes pelos quais foram denunciados pelo MPCE.

Via G1 Ce

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook