Uma campanha ganhou força nas redes sociais após uma mãe denunciar que a filha de três anos sofre maus-tratos e abuso sexual na casa do pai. Eles vivem em São José, em Santa Catarina.

No perfil, a mãe compartilha vídeos da criança se recusando a ir à casa do pai e chorando ao sair dos seus braços, desde dezembro de 2020.

Segundo ela, a filha é abusada sexualmente pelo filho de sua madrasta. Ela convive com ele na casa do pai.

“Sábado, dia 10/04, minha filha apresentou os primeiros sinais de abuso sexual vindo do filho da madrasta. Fiz todo o procedimento na delegacia da mulher e mesmo assim, o juiz que está no caso deferiu ao pai uma busca e apreensão e eu tive que entregar a menina, após a psicóloga relatar que Laura ficou quieta e não falou nada”, afirmou a mãe.

Ela afirma que já denunciou o caso na Delegacia da Mulher de Kobrassol, em São José, e pede mais visibilidade para que a Justiça seja cobrada.

Guarda

O perfil utilizado para denunciar o caso já tem mais de 360 mil seguidores no Instagram. Ela tem recebido apoio de internautas e advogados, que se ofereceram para ajudar no caso.

A mãe também compartilhou mensagens com o pai da criança, nas quais ele se recusa a fazer ligações de áudio e vídeo para que a menina falasse com a mãe.

A mulher relata diversas tentativas do pai de tirar a guarda da menina. Segundo o relato, em julho de 2019, o pai conseguiu uma guarda provisória de Laura, mas isso foi revertido na 1ª Vara da Família de São José.

Em dezembro de 2020, no entanto, o caso foi revisto e a guarda provisória do pai foi aprovada. Conforme a mãe, o ex-companheiro é advogado teria utilizado de vantagens no Conselho Tutelar e na Justiça para acelerar o processo em seu favor.

Fonte: Diário do Nordeste

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook