Uma ação desenvolvida pela Polícia Civil do Ceará (PC-CE) resultou na prisão de um casal, suspeito de integrar uma organização criminosa atuante em Caucaia – Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11) do Estado. As capturas ocorreram em Tibau, no Rio Grande do Norte, e em Fortaleza, no Ceará.

O primeiro a ser preso trata-se de Romário Ferreira Cruz, o “RM”, de 27 anos, que já responde por tráfico de drogas, porte e posse irregular de arma de fogo e por integrar organização criminosa. O homem foi capturado nessa segunda-feira, no município de Tibau, em solo potiguar. Ele estava escondido em uma residência e não reagiu a ofensiva policial. Durante a prisão, foi apreendido um veículo modelo Cruze, um documento falso, além de um aparelho celular que passará por perícia. O homem foi recambiado ao Ceará, onde deverá responder pelos seus crimes.

Conforme as investigações desenvolvidas pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), o suspeito é apontado como braço direito de Domingos Costa Miranda, o “Penetra”, preso em agosto deste ano. Ele figurava na lista de recompensa da SSPDS. Ainda conforme as investigações, Romário é envolvido em uma ocorrência que resultou em cinco homicídios ocorridos, no distrito de Boqueirão das Araras, em Caucaia, Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11) do Estado, no dia 31 de julho deste ano. Além de, pelo menos, outros dois homicídios ocorridos em 2020.

A segunda prisão, realizada nessa terça-feira (19), trata-se da companheira de “RM”, identificada como Nayara Gomes da Silva, de 28 anos, que já responde por integrar organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo. A captura ocorreu no bairro Conjunto Ceará (AIS 2), em Fortaleza. As apurações policiais apontam que ela é suspeita de participar do mesmo grupo criminoso do companheiro e possuir ligação com as atividades criminosas desenvolvidas por Romário, como o tráfico de drogas. As investigações em torno do casal seguem.

Denúncias

Para combater a atuação de grupos criminosos no Estado, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) conta com a participação da população para repassar informações que auxiliem os trabalhos investigativos. Por isso, a unidade especializada da Polícia Civil do Ceará mantém um número de WhatsApp para receber denúncias de ações criminosas em todo o Estado. A população pode enviar mensagens de texto, áudios, fotos e vídeos para o número (85) 98969-0182.

As denúncias também podem ser feitas, por meio de ligação gratuita, para o 181, ou enviando mensagem para o WhatsApp (85) 3101-0181 do Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O sigilo e o anonimato são garantidos.

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook