Um empresário e o amigo dele foram mortos a tiros e três pessoas foram baleadas em uma churrascaria no distrito de Otavilândia, zona rural do município de Pires Ferreira, a 284 quilômetros de distância de Fortaleza. O crime aconteceu na tarde deste domingo (10).

A Secretaria da Segurança Pública afirma que a Polícia Militar foi acionada para atender a uma ocorrência de duplo homicídio. De acordo com a pasta, há suspeita de que uma das vítimas tinha envolvimento com um grupo criminoso da região.

Conforme testemunhas, Alan Farias, de 29 anos, proprietário de um frigorífico, e o amigo Fábio Farley, que não teve a idade informada, bebiam juntos quando foram atacados por criminosos no estabelecimento. Alan estava sentado em uma cadeira próximo a uma mesa quando foi atingido pelos disparos. Já Fábio ficou caído no chão da churrascaria.

Na fuga, os criminosos tentaram render o motorista de um carro que chegava a churrascaria, o condutor tentou fugir e o veículo foi atingido por vários disparos, baleando o homem e um casal que estavam no carro. As vítimas foram socorridas e conduzidas para unidades de saúde da região.

 

Equipes da PM e da Perícia Forense estiveram no local e colheram indícios que auxiliarão os trabalhos investigativos. A polícia realiza buscas na região pelos criminosos. O caso é investigado pela Delegacia Regional de Tianguá.

Allan Farias, 29 anos, era proprietário de um frigorífico, e foi morto a tiros na companhia de um amigo em Pires Ferreira no Ceará. — Foto: Arquivo pessoal

Allan Farias, 29 anos, era proprietário de um frigorífico, e foi morto a tiros na companhia de um amigo em Pires Ferreira no Ceará. — Foto: Arquivo pessoal

Segundo Eduarda Farias, irmã de Alan, o empresário não tinha desavenças, e a família acredita que ele não era o alvo dos criminosos. “Perdemos nosso pai recentemente então ele não estava saindo muito e não tinha desavença com absolutamente ninguém. Ele estava apenas na hora errada e no local errado”, disse a jovem.

Conforme Eduarda, Alan era “trabalhador, honesto, protetor e uma cara extremamente respeitoso com os outros”. “Ele se tornou a cópia perfeita do homem e pessoa que meu pai era, um cara super calmo, na dele. Éramos muito unidos”, relata.

Via G1 Ce

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook