A Microsoft publicou um documento de suporte confirmando que o Windows 10 não utiliza mais a gravação em cache para mídia removível a partir da versão 1809. A consequência dessa mudança é que não é mais necessário utilizar o recurso de “ejetar” ou “remover com segurança” para desconectar pen drives, cartões de memória e outras mídias externas.

A gravação em cache é um recurso em que o Windows cria uma espécie de “ponte rápida” entre a gravação de dados informada ao usuário e a gravação na mídia (como um pen drive).

Com essa tecnologia, todas as operações de escrita e gravação aparecem como concluídas assim que os dados são colocados nessa ´ponte”. Mas a gravação só termina efetivamente após os dados “atravessarem” essa ponte – um procedimento que não é informado na tela. O recurso de “ejetar” confirma que um dispositivo pode ser removido quando todos os dados finalizarem o trajeto.

Como o Windows 10 não utiliza mais o cache, todas as gravações em mídia removível são efetivas. Quando um processo acabou na tela, ele realmente foi finalizado e a mídia já pode ser removida.

Apesar da mudança reduzir o risco de perda de dados, nem todos os efeitos são positivos. O objetivo da gravação em cache é acelerar os pen drives, então alguns dispositivos podem parecer mais lentos sem esse apoio.

Fonte: G1

Comentários

Deixe uma resposta