Cinco pessoas foram presas na última sexta-feira (2), suspeitas de participar de uma esquema criminoso que aplicava golpe de venda de apartamentos do programa Minha Casa Minha Vida, em Fortaleza.

As cinco pessoas presas fazem parte da Associação Realizando Sonhos, localizada na Avenida L, do bairro Conjunto José Walter. Eles foram identificados como: Ana Paula Clemente da Silva (38), presidente da associação, além de Sérgio Luiz Ferreira Rios Filho (27), Wellington Fábio Lima da Costa (27), Emerson Bento de Souza (40) e Maria Clemilda Vasconcelos Borges (34). Todos sem antecedentes criminais. Eles foram presos em flagrante quando realizavam atendimentos dentro da associação.

A Polícia chegou ao local, após denúncia formalizada pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) da Prefeitura Municipal de Fortaleza, dando conta que membros de uma associação estavam captando pessoas com a garantia de recebimento de apartamentos no Residencial Cidade Jardim II, no Conjunto José Walter, caso os pretendentes pagassem uma determinada quantia de entrada e parcelas mensais.

Durante as investigações realizadas, foram encontrados R$ 8,8 mil em espécie, documentos – tais como fichas de cadastro, recibos, declarações de beneficiários da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, contratos de alienação fiduciária, termos de desistência, listas com nome dos associados –, além de agendas com anotações, cadernos de movimento de caixa, carimbos, cartões de apresentação da associação, um HD portátil e um pen drive, 14 aparelhos celulares e oito notebooks.

O grupo foi levado à sede da DDF, onde foi autuado em flagrante por estelionato, associação criminosa, falsificação e uso de documentos públicos e particulares, além de falsidade ideológica. A Polícia orienta ainda que as pessoas que caíram no golpe se dirijam até a sede da DDF (localizada no Complexo de Delegacias Especializadas, no bairro Aeroporto) para registrar a ocorrência.

As investigações apontam que cerca de duas mil pessoas foram vítimas do grupo, porém, a Polícia Civil segue com as investigações no sentido de identificá-las.

Via Cnews

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook