A União Nacional dos Juízes Federais do Brasil (Unajuf) pediu que o senador licenciado Cid Gomes seja denunciado por tentativa de homicídio qualificado “com emprego de meio resultante em perigo comum” e de “impossibilidade de defesa das vítimas”. O documento foi encaminhado ao procurador-geral da República Augusto Aras e se refere a tentativa do parlamentar em entrar, com uma retroescavadeira, o portão de um quartel da Polícia Militar, em Sobral, Região Norte. 

A representação justifica que, “com intenção dolosa, previamente orquestrada e amplamente anunciada”, o ex-governador tentou invadir o quartel. O pedido foi protocolado na quinta-feira (20), mesmo dia em que os deputados federais Capitão Wagner (Pros),  Major Fabiana (PSL) e Capitão Alberto Neto (Republicanos) registraram um Boletim de Ocorrência contra Cid.

“Esse movimento é ilegal. Vocês têm cinco minutos para pegarem seus parentes e saírem daqui em paz. Cinco minutos”, disse Cid, antes de tentar invadir o quartel. De acordo com a Unajuf, o meio utilizado pelo parlamentar “indica um real e potencial risco do evento morte daqueles que ali estavam”.

Para o grupo, os tiros que atingiram Cid Gomes são “legítima defesa”. “Pela rápida ação dos que ali estavam, houve a legítima defesa de uma ou mais vítimas, que fizeram cessar a carnificina eminente, realizando disparos de projéteis de arma de fogo rumo ao autor do fato, que por sorte ou perícia dos que realizaram se logrou êxito contra o agente criminoso, tanto que só assim cessou a conduta hedionda”, argumenta. 

 

Via Cnews

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook