Com o objetivo de ampliar e fortalecer as Políticas de Patrimônio Imaterial no Estado do Ceará, a Secretaria da Cultura do Estado (Secult) lançou um mapeamento das quadrilhas juninas do Ceará. O serviço pretende identificar o número de iniciativas existentes, onde elas estão, e há quanto tempo promovem as atividades culturais. Segundo o coordenador de Patrimônio da Secult, Alênio Alencar, essas informações podem ser utilizadas para fins de valorização, e ainda como análise e desenvolvimento de futuras políticas públicas de fomento à cultura.

O mapeamento junino é um cadastro das quadrilhas em atuação no território cearense. A partir do mapa, será feito um levantamento da quantidade e localização das quadrilhas juninas que o Estado possui, com a proposta de trazer reconhecimento e incentivo às manifestações do circuito cultural e turístico, previsto no Plano Estadual de Cultura, instituído pela Lei estadual Nº 16.026, de 1º de junho de 2016.

De acordo com Alênio Alencar, pelo menos 62 cadastros já foram realizados. Ele destaca que é um número ainda pequeno, visto que no edital de apoio direto há o registro de 128 quadrilhas, sendo 100 quadrilhas adultas, 14 infantis e 14 da diversidade.

“Ainda há muitas que não se inscreveram no edital. Para a Secult, essa não é uma política só de fomento, mas também de reconhecimento, para que a gente possa pensar políticas públicas para elas também”, ressalta Alênio. Apesar disso, a expectativa é de que o número de cadastros venha a aumentar, considerando que o período para inscrição segue até 31 de maio de 2020.

Ciclo Junino 2020

De acordo com o coordenador de patrimônio da Secult, Alênio Alencar, as federações de quadrilhas juninas costumam se preparar com antecedência para os eventos do circuito cultural, e as produções e ensaios ocorrem de maneira independente da Secretaria.

Os grupos filiados à Federação das Quadrilhas Juninas do Ceará (Fequajuce), por exemplo, estão desde janeiro se preparando para as festividades. “Alguns grupos começaram a fazer suas festas de lançamento temáticas e primeiros ensaios ainda em outubro e novembro do ano passado; mas a grande massa inicia em janeiro”, destaca o diretor da Fequajuce, Anderson Assunção.

Além dos ensaios, a Federação já definiu as diretrizes para o São João 2020 e participa de fóruns de discussões a nível regional sobre o ciclo junino. Neste ano, a Fequajuce ainda conta com programação exclusiva para comemorar os 30 anos da Instituição, a ser lançada nos próximos dias, a partir das redes sociais (Instagram @Fequajuce). Atualmente, são filiados à Fequajuce cerca de 200 grupos de quadrilha, que participam de pelo menos 150 eventos juninos durante o São João do Ceará.

Serviço

Mapeamento das Quadrilhas Juninas do Ceará

Data: até 31 de maio de 2020

Inscrição: a partir de formulário online divulgado pela Secretaria de Cultura do Estado

Via O Povo Online

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook