A situação dos familiares de pacientes infectados pela Covid-19 nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em Fortaleza é de espera constante. De acordo com pessoas que aguardam na entrada das unidades da capital neste sábado (2), a superlotação é uma realidade que tem prejudicado a assistência adequada.

Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a lotação nas UPAs ocorre devido ao fluxo dos pacientes com Covid-19 e com outras doenças comuns nessa época do ano.

Para Francirégia Ribeiro, que viu o marido ser internado na UPA do Autran Nunes, bairro periférico, a falta de notícias sobre o estado de saúde do paciente tem sido “angustiante”. O esposo dela, José Lima Cunha, 60, começou a apresentar os sintomas da doença causada pelo novo coronavírus por meio do aumento na temperatura corporal.

“Ele estava sentindo febre e ficou quatro dias assim. De segunda para terça, começou a apresentar um cansaço muito forte. Começou a ficar pior e foi no dia que trouxe ele até aqui. Ele foi internado e não soube notícia”, explicou.

Via G1 Ce
Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook