Dois homens foram presos e dois adolescentes apreendidos em um veículo no quilômetro 9 da BR-116, no Bairro Messejana, em Fortaleza, nesta quinta-feira (26). O grupo é suspeito da morte duas pessoas ocorridas durante a tarde. Um carro roubado, dois revólveres, uma pistola e munição foram apreendidos com os suspeitos.

A Polícia Militar localizou os suspeitos após os agentes receberem uma denúncia via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) de que um veículo envolvido em dois homicídios estava em fuga sentido interior-centro.

Durante a abordagem, os suspeitos não resistiram a prisão, pararam o veículo e se jogaram no chão para a averiguação da polícia.

Após o flagrante, a polícia prendeu Altamir Helder Dias Fernandes, de 18 anos, Weberton Luan Pereira da Silva, de 20 anos e apreendeu dois adolescentes de 17 anos.

Os adolescentes foram conduzidos para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), no Bairro São Gerardo. Já Altamir e Weberton foram conduzidos a uma delegacia da região.

 

Crimes

 

Um jovem de 20 anos foi morto a tiros na Rua Maria Quintino, no Parque Santa Maria, na Grande Messejana, na tarde desta quinta-feira (26). — Foto: Paulo Sadat/ SVM

Um jovem de 20 anos foi morto a tiros na Rua Maria Quintino, no Parque Santa Maria, na Grande Messejana, na tarde desta quinta-feira (26). — Foto: Paulo Sadat/ SVM

Os homicídios dos quais o grupo é suspeito ocorreram com minutos de diferença. O primeiro caso foi registrado na Rua Maria Quintino, no Parque Santa Maria, na Grande Messejana, na tarde desta quinta-feira (26). A vítima é um jovem de 20 anos, que não teve a identidade revelada.

Segundo a polícia, o jovem é morador da rua onde o crime ocorreu e estava no local quando homens em um veículo atiraram contra ele. Várias cápsulas de pistola ficaram jogadas próximo ao corpo da vítima.

Já a segunda morte aconteceu na Travessa Francisco Vieira, no Bairro Ancuri. A vítima é um homem, que não teve a identidade revelada. Não há informações sobre a dinâmica do crime. Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram nos endereços das ocorrências e fizeram os levantamentos sobre o caso.

Via G1 Ce

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook