No inicio do ano Caucaia viveu um verdadeiro cals com a paralisação da coleta de lixo, em poucos dias vários pontos de entulhos se formaram em diversos pontos da cidade, a Av. Dom almeida Lustosa principal corredor comercial da grande Jurema ficou tomado pelo lixo, tanto no canteiro central quando nas calçadas era possível encontra lixo.

No último dia 06/01 o prefeito de Caucaia, Vitor Valim (Pros) decretou estado de emergência, o que possibilitou a contratação de uma empresa para realiza a coleta, no dia seguinte, dia 07/01 a empresa já contratada iniciava uma força tarefa na tentativa de retirar das ruas do município o lixo que já tomava ruas e avenidas.

A empresa contratada para presta o serviço foi a Marquise S.a, o valor de contrato é de R$ 22.767.390,60, para o período de seis meses (180 dias), conforme informações do diário oficial do município.

Passado 8 dias desde a data de retomada da coleta, ainda é possível encontra pontos de entulhos na cidade, nas redes sociais, a população mostra alguns pontos críticos, como é o caso da Rua Novo Oriente no Conjunto Marechal Rondon, onde o lixo forma uma rampa, um verdadeiro atrativo para os insetos e para doenças.

Repercussão do caso

Em virtude do caso, o ex prefeito de Caucaia Naumi Amorim (Psd), usou suas redes sociais para publicar um vídeo onde o mesmo afirma ter renovado o contrato com a empresa de lixo.

Já na imprensa, a cobrança foi para que Valim mostrasse os orçamentos obtidos durante o processo de busca pelo a empresa que ficou responsável pelo a coleta na cidade, Valim sempre falou muito em transparência, em virtude disso a cobrança mesmo que não seja uma obrigação do gestor mostra esses orçamento prévio.

A não obrigatoriedade se da pelo fato do município está em estado de emergência e não se necessário de licitação.

 

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook