Motociclistas de delivery bloquearam, na tarde desta sexta-feira (29), um trecho da Avenida Desembargador Moreira, em Fortaleza, em um ato que reivindicava melhores condições de trabalho. Os trabalhadores percorreram ruas da cidade com um buzinaço e usaram mochilas térmicas para fechar a via.

G1 entrou em contato com as empresas de entrega de comida e aguarda resposta.

“A gente está pedindo o mínimo, que é uma taxa fixa por entrega. A gente recebe pedido de quatro quilômetros para receber R$ 3,80, com a gasolina a R$ 5”, reclama o entregador Alves Soares. “Como qualquer pessoa, a gente está aqui pelo pão de cada, a gente não quer uma taxa que não possa ser paga: a gente quer R$ 5 taxa de mínima para bike e R$ 6 pra moto.”

Eles pedem também uma taxa mínima para os serviços de aquisição de produtos, quando um consumidor solicita que o entregador vá ao local de compra, faça o pagamento pelo item e entregue na casa do cliente.

 

‘Fim das punições’

 

De acordo com Glauberto Almeida, presidente do Sindicato dos Motoboys do estado do Ceará (Sindimotos-CE), uma das principais reivindicações da categoria é o fim das punições pelas empresas.

 

Ele relata que os trabalhadores recebem multas em caso de atraso nas entregas e são punidos quando param de aceitar pedidos temporariamente, chegando a ter as contas suspensas. Para Almeida, essas punições indicam vínculo empregatício, o que não é reconhecido pelo Ministério Público.

Via G1 Ce

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook