De acordo com dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE), mais de 10 mil vagas de trabalho no setor foram fechadas desde o início da pandemia, em 2020.

Taiene Righetto, presidente da entidade, destaca que 70% do setor no Ceará funciona durante a noite e, desde que as regras de isolamento passaram a impedir o funcionamento além das 20 horas, há pelo menos 60 dias, mais de 3 mil pessoas foram demitidas.

O reflexo da pandemia sobre bares e restaurantes, portanto, fez com que metade dos negócios do gênero fechassem. Antes da pandemia eram pelo menos 20 mil empresas regulamentadas, aproximadamente 10 mil já fecharam as portas. “É uma situação dramática”, reflete o presidente da Abrasel.

Histórico

Na última sexta-feira, 26 de março, o lockdown havia sido prorrogado por mais uma semana, até domingo, 4 de abril, em decisão tomada na reunião do comitê científico.

O lockdown foi decretado em Fortaleza em 3 de março e entrou em vigor em 5 de março. Seria pelo período de 14 dias, incialmente até 18 de março.

Em 11 de março, o lockdown foi estendido para todos os municípios do Ceará, a partir de 13 de março, indo até o dia 21 em todo o Ceará, inclusive em Fortaleza. Foi a primeira vez que todo o Ceará ficou simultaneamente no chamado isolamento social rígido.

Em 19 de março, o lockdown foi prorrogado até 28 de março, próximo domingo.

Em Fortaleza, os 24 dias de lockdown até este domingo já igualou o período de isolamento mais estrito de 2020, ocorrido em maio do ano passado: 24 dias.

Fonte: O Povo

Jornalista Ricardo Cavalcante
Siga-me

Comentários no Facebook